DIRETO DO SOFÁ #5

Meu editor do livro do Santos me mandaria pro espaço, mas agora aqui no meu canto, vou usar esse adjetivo. Segura aí. O primeiro dia efetivo de competições pra tudo que era canto foi AUSPICIOSO para o Brasil. Fala sério, chique demais esse adjetivo. De fato, nunca na história dos Jogos Olímpicos, o país – que só lembra dos esportes olímpicos em tempos de Olimpíada – se superou com a conquista de três medalhas, uma de cada metal, o que colocou a delegação brasileira num fugaz quarto lugar no quadro geral de medalhas.

Cinco da manhã, eu levantava da minha caminha nova para trabalhar e ver o judô. Ontem eu falei que ia rolar medalha com Sarah Menezes. Lembra? Entendo um pouquinho. A mocinha deu um show. Foi soberana de fato. Primeira judoca do Brasil a faturar um ouro. Aliás, o judô com as duas de hoje passou a vela como esporte que mais rendeu triunfos ao Brasil. O bacana da Sarah é que quatro anos atrás, ela chegou como promessa que poderia render já em Pequim, com apenas 18 anos. A brasileira amarelou e perdeu em sua primeira luta. Hoje, ela não deu bobeira… Bela volta por cima. Torci pro Felipe Kitadai conseguir o bronze. Ele tremeu contra o japonês, mas sempre que se impôs perante ao adversário, Felipe venceu. Faz 23 anos hoje e não tinha favoritismo nenhum. Levou o bronze… Show!

Falando em amarelões, cara, que sina essa do Diego Hypolito. Sei lá, contrata um psicólogo, faz alguma coisa. Ele passa quatro anos treinando, conquistando mundiais, sendo o número um do ranking. Aí na hora boa da Olimpíada, toim, Hypolito cai. Foi sua segunda olimpíada, sua segunda queda, sei não, mas acho que não haverá chance para uma terceira.

Hugo Hoyama é outro que putz grila o que vai fazer numa Olimpíada? Sexta participação e sexta eliminação precoce. Aliás, vexame total do tênis de mesa. Hora de rever conceitos.

Thiago Pereira, um célebre amarelão, calou a minha boca e finalmente levou uma medalha em Jogos Olímpicos. Em quatro oportunidades em outros Jogos, Thiago chegou em quarto lugar. Hoje, foi segundo, pareceu que não ia nem chegar, mas aguentou o tranco. O legal é que os 400 metros medley não é a sua especialidade. Quem sabe nos 200 m, sua favorita, ele amarele pra valer com o ouro…

Duas surpresas brasileiras: os ginastas Arthur Zanetti e Sergio Sasaki se classificaram para finais na ginástica masculina. Marcelo Melo e Bruno Soares seguem na competição de duplas de tênis.

Uma decepção: o quarto lugar de Michael Phelps na prova em que Thiago Pereira ganhou medalha.

Um susto: Roger Federer dormiu, perdeu um set, mas se garantiu na segunda rodada do torneio de tênis.

Uma constatação: Juliana e Larissa vão brigar por medalha assim como Ricardo e Pedro.

Pincelada sobre os esportes coletivos: suadas vitórias no Handebol e no futebol. No primeiro, é clara a força dessa seleção comandada pela goleira Chana. Já o time de futebol, sei não, está estranho. Na verdade, a Marta tem me parecido meio fora de sintonia, bicuda, brava demais. O basquete até me surpreendeu nos três primeiros quartos. Parecia que ia vencer até. No último quarto, desandou. Fez só nove pontos e vixe levou surra, que aliás será uma constante nesse torneio. Não vejo mais esse time não… O vôlei encarou a novata e bem armada Turquia. No quarto set e que poderia ser decisivo, a seleção abriu uma vantagem de 18 a 10. O impossível aconteceu. A Turquia reagiu. Vitória turca por 27 a 25. Jogo para o tie-braker. Muitos erros. Emoção total. Brasil 15 a 12. Time brasileiro é teste pra cardíacos. Não pode errar desse jeito, não…

Com as três de hoje, o Brasil coleciona 94 medalhas em toda a história dos Jogos Olímpicos. Quem ganhará a 100ª? Acho que vai ser o César Cielo…

Amanhã, estreias do basquete e vôlei masculinos. Aí sim, o bicho pega. Futebol de Neymar talvez apareça também contra a Bielorússia. Bellucci joga contra o sexto do mundo em sua primeira partida no torneio de simples do tênis. Maldade eu falar o resultado? Bye Bellucci (risos). Domingo talvez passe em branco no que se refere a medalhas. Leandro Cunha no judô pode ser o nome do dia. Ele foi vice-campeão mundial em 2010 e 2011 no peso meio-leve. È candidato a algo … Na natação, quem sabe uma boa surpresa no revezamento  4×100 metros livres.

Acho que não esqueci de nada

CAPA DO DIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s